24 de julho de 2012

A DECEPÇÃO DE JUDAS ISCARIOTES.

É uma afirmação inquietadora, esta que rege este texto, que é se podemos nos decepcionar com Deus. 
Vemos muitos que se dizem decepcionados com Deus ou com a igreja, ou que Deus não poderia ter feito isso ou não ter deixado acontecer aquilo, e etc.
Porém temos que ver o que é decepção realmente. Pois nos decepcionamos quando algo que imaginamos que acontecerá de uma forma não acontece, ou esperávamos uma ação de alguém e a pessoa não a tem. 
Deus não nos decepciona, mas nós nos decepcionamos com Ele por achar que Deus tem que nos dar algo, agir de uma certa forma, ou até mesmo consertar ou evitar as consequências de nossos erros e escolhas erradas.
Quero falar agora da decepção que Judas teve. Imagine você dono de uma empresa para contratar um gerente para ela, e seus candidatos fossem os 12 discípulos de Jesus que mais tarde se tornaram apóstolos. Talvez você pense logo em contratar Pedro pela sua personalidade de liderança e ousadia, mas você pensaria logo que ele é impulsivo e pouco estudado.
Que tal João? O discípulo amado, aquela que mais procurava intimidade com Deus, porém você não o escolhesse por ser o mais novo, pois segundo estudos, ele tinha 24 anos quando foi chamado por Jesus. 
Talvez Mateus? Homem estudado, culto, mas você poderia se lembrar que mesmo sendo judeu, ele trabalhava para o império romano cobrando impostos dos judeus, já que os romanos dominavam os judeus e isso poderia lhe trazer uma desconfiança sobre Mateus, por achar que ele poderia lhe trair em sua empresa.
Talvez você esteja pensando que estou tentando denegrir a imagem deles, mas não estou, estou apenas lhe mostrando uma visão mais focada no exemplo de empresa. Mas agora saberá aonde quero chegar.
Afirmo que com quase 100% de certeza que eu e você contrataríamos Judas Iscariotes. Ele era chamado de Iscariotes não por que era seu sobrenome  e sim porque ele veio de uma região chamada Queriote, era aonde estavam as "cabeças pensantes" do povo judeu, os mais estudados e cultos da época. 
Ele era um homem inteligente, estudado, era do mesmo movimento que Barrabás, movimento este que tinha intuito de fazer o povo judeu lutar contra o império romano para sua independência. Porém Judas não usava a espada, ele era um dos articuladores do movimento.
Quando recebeu o chamado de Jesus para segui-lo, Judas largou o movimento, mas começou a ver em Jesus o messias que todo judeu esperava, o messias político, que libertaria o povo do julgo romano. 
Judas acompanhou Jesus, aprendeu com Ele, viu milagres, participou ativamente da multiplicação dos pães e peixes, viu Jesus fazer curas, expulsar demônios, operar maravilhas, parar o vento e o mar, e deve ter pensado: É ele o messias, que libertará o nosso povo.
Judas estava meio certo, pois Jesus é o messias, porém Libertaria o povo de outra forma, não politicamente falando, mas sim espiritualmente, para dar direito ao perdão, remissão de pecados, ligação direta com Deus Pai, direito a vida eterna no céu.
Mas apesar de Jesus sempre falar isso, Judas talvez não quisesse entender desta ótica, e sim da qual ele Judas achava ser a melhor e correta, mas quando Jesus contou o que Lhe aconteceria: "Bem sabeis que daqui a dois dias é a páscoa; e o Filho do homem será entregue para ser crucificado." (Mateus 26:2). Judas viu seu mundo cair, suas expectativas ruírem, e seu até então herói mostrar que não poderia mais suprir suas expectativas.  
Pois Judas deve ter pensado: Achei que Ele seria o libertador do povo, mas como pode ser, se vai se deixar crucificar?"
Jesus tinha poder para evitar a crucificação e Judas sabia disso, Jesus tinha poder até mesmo para tomar o império romano, mas não foi para o que Ele veio, e daí veio a decepção de Judas, exatamente porque Ele imaginou que Jesus faria algo, do qual o próprio Jesus nunca disse que faria.
Esta decepção de Judas abriu a brecha para Satanás entrar e usa-lo para que ele trai-se Jesus.
Assim muitas vezes são as pessoas, se decepcionam porque acham que Jesus tem que agir com elas do jeito que elas querem, que Deus tem que lhe dar a benção que ela quer, na hora quer ela quer e do modo que ela quer, mas não é assim. Ele é soberano, Ele sabe o que é melhor para nós e quando é a hora certa de recebermos tal benção.
Não deixemos nossas inquietações ou julgamento sobre a ação de Deus nos afastar dos caminhos Dele e da comunhão com Ele. 
Pois tais decepções descabidas, nos leva a nos afastar de Jesus e abrir brechas para Satanás devastar nossa vida.
Continue na igreja, se quiser mudar de igreja, só o faça quando Deus lhe permitir e orientar para qual você irá, mas nunca saia da presença Dele e nem se afaste do seu templo.
"Alegrei-me quando me disseram: Vamos á casa do Senhor." (Salmos 122:1)
Tenha sempre esta alegria de buscar a Deus e andar segundo seus estatutos. 
"Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores. Antes tem o seu prazer na lei do SENHOR, e na sua lei medita de dia e de noite. Pois será como a árvore plantada junto a ribeiros de águas, a qual dá o seu fruto no seu tempo; as suas folhas não cairão, e tudo quanto fizer prosperará." (Salmos 1:1 ao 3)
Este segundo a vontade de Deus e Ele lhe encherá de de bençãos. 
Ele não ti decepciona, a mensagem que Deus tem para ti é: Filho, eu te amo. 

Escrito por Luis Roldan. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário